segunda-feira, 16 de março de 2009

poema de dentro






Doses cavalares de você
Beijos desconcertantes da sua boca
Língua passeando livremente na minha pele
Mãos percorrendo desesperadamente meu corpo
Dentes prensados delicadamente no meu pescoço
Sugando minha saudade
Meu desejo enlouquecedor de você

Doses homeopáticas de amor
Pelo resto da minha vida
Amor, as mãos dadas
Aos sorrisos bobos de contentamento
Olhares delicados e intensos
Tão de perto
Que olhar de perto é beijo

E nunca mais
e… em hipótese nenhuma
Ser mais longe que isto
Ser tão longe do que é hoje
Ser mais longe que um palmo do meu amor
Uma polegada da sua paixão

Que mais perto, seja dentro
Dentro, eu da sua boca
E você, sempre pulsando
Incontido em seu desejo
Dentro
Mais dentro,
Ainda mais insamente dentro
Ainda por muito mais tempo
Porque amor como este
É para ser vivido assim,
Para o lado de dentro
Nunca mais longe que isto….

9 comentários:

Madrecita disse...

goxtei!

SinaraBertholdo disse...

Lindo!
É este tipo de amor que eu quero viver.
Lindas palavras.

Sandra Regina de Souza disse...

sim, Menina!! Nossos poemas estão no mesmo pronto-socorro!!..rs... Gostei! bj

Eduardo Trindade disse...

Hummm... Forte e bonito... Sentimental como um belo poema tem de ser.
Abraços!

angelo alfonsin disse...

Se você disser o planeta em que há esse amor, vou pra lá agora.
Lindo e forte.
beijo

angelo alfonsin disse...

Lógico que pode, o poema é seu, afinal é para isso que escrevo para pessoas inteligentes como você.
beijão

Adriano Veríssimo disse...

Ai

que dorzinha do coração

acho que preciso disso.

= (

rs

Pelo poema Coração!

Beijo

Cynthia Lopes disse...

Lindo, "amor de dentro prá fora, amor que eu desconheço". bjs
adorei seu comentário...

Mariana Ferreira disse...

Sentimentos confusos e desconcertantes...
desses sem orientação precisa
sem sinônimo...



obrigada pela visita!

gostei daqui. voltarei!