quarta-feira, 16 de setembro de 2009

princesa e dragões.




















Em certa parte do caminho, Justine parou. Não sabia se voltava para trás ou se continuava adiante. Só parou. Sentou no meio fio e com um gaveto a mão desenhou no chão arenoso na rua de terra arabescos sem significado. O sol escaldante queimava suas costas branquelas a mostra, mas, não se importava, não sentia o calor do meio-dia.

Justine tinha dúvidas.

Ao longe avistava os muros do castelo onde teria “pompas e circunstâncias” dentro de muros enormes e por todo lado, imagens de casinhas brancas com portas e janelas abertas soltando cheiros de uva curtida e broa saindo do forno, atordoavam sua visão.
Olhou somente para o chão onde rabiscava com força o desenho ilustrativo de uma história qualquer , somente sentia seu coração bater compassadamente.

Justine tinha dúvidas.
imagem: cidade medieval Óbidos, Portugal

Um comentário:

angelo alfonsin disse...

Justine é Renata, a princesa, dentro dos muros de Curitiba, desenhando seus sonhos e duelando com suas dúvidas.
beijo