terça-feira, 19 de abril de 2011

CONFISSÕES PARA UMA SEMANA SANTA.



É tudo que eu posso
Lhe adiantar
O que é um beijo
Se eu posso ter o teu olhar?
Cai na dança, cai
Vem prá roda
Da Malemolência...



E se isto não é a personificação do pecado, não existiria pecado abaixo das nossas cinturas

E se fosse pecado além da linha imaginaria que faz nossos olha res inconvenientes

Eu, juro, em nome de alguém, melhor nem dizer o nome,

(é pecado, sem piedade)

Iria para este inferno capcioso quente luxurioso devasso

que são seus braços em abraços.

Ah, iria...


3 comentários:

Ludmila Rohr disse...

....e como não ir?

Por que você faz poema? disse...

"O que é um beijo
Se eu posso ter o teu olhar?"

Wilden Barreiro disse...

creio, Renata, que não existam pecados abaixo das nossas cinturas.
todo o pecado está concentrado na boca, o único dos órgãos sexuais que fala, podendo, pois, ser herética. os demais são apenas eróticos e (dois deles) eréteis.
daí que a boca, malidicente como ela só, se aproveita dessa paronímia (herético/ erótico/ erétil) para dividir com os coitados suas eventuais penitências por pecar... rs

beijo