quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Vou de coletivo - uma carta de amor.

Curitiba, 5 de agosto de 2009





Quando leu ao telefone o que escreveu eu sua carta, quase não pude suportar sentada, parada e distante de ti.
Quando li ao telefone a carta de amor que te respondi, quase não pude falar, fiquei ali repetindo, repetindo o fim, que disse como se sentia.
Fez-me perguntas quando não poderia responder atónica de desejo e paixão. Agora te digo:
Sim, é uma loucura inesquecível
Sim, vou contar sobre você aos meus netos.
Sim, quero que conte sobre mim aos seus netos. Mas, se para isto depender o nosso fim, não, eles não precisam ficar sabendo.
Sim, seriam lembranças maravilhosas, mas, melancólicas demais
Não, não estou triste, melancolia faz umas côcegas gostosinhas.
Sim, vai dar conta de tudo por algum tempo.
Não, o presente é hoje. Do futuro não preciso saber.
Sim, eu também .
Vou precisar ler em voz alta esta também?

Beijos,
para o antes, durante e depois da sua descrição de amor.







Este texto faz parte da blogagem coletiva "vou de coletivo"

o tema deste mês é: carta de amor
http://voudecoletivo.blogspot.com/2009/07/uma-carta-de-amor.html

3 comentários:

.Lis disse...

..."vou contar sobre voce ao meus netos / quero que conte sobre mim aos seus netos..." isso é verdadeiro sonho de amor. Quando amamos queremos tudo muito junto, já vivi isso.,rsrs Linda sua carta. Adorei.
Ab raços

Verdade Soufia disse...

lindo!!!!
amei!!!!
vc é maravilhosa amiga....

angela disse...

Que não termine. Amor fica só é muito triste.
Abraços